APFN - 27 de Agosto

Muito obrigado, Sr. Ministro!

Exmo Senhor
Ministro da Educação

Em nome da APFN, quero agradecer a V. Exa a divulgação dos resultados obtidos pelos alunos nos exames do 12. ano, comparados com os obtidos nessa enorme aldrabice nacional que se designa pomposamente por "avaliação contínua".
Trata-se de uma velha reivindicação da APFN que, finalmente, foi satisfeita.

Imaginamos as enormes pressões a que V. Exa foi submetido para que não o fizesse, e as que hoje, e nos próximos tempos, o vão sujeitar.

Por favor, não desista!

Por favor, acabe de vez com o domínio dos auto-designados pedagogos que enxameiam o edifício também pomposamente designado por "Ministério da Educação", que tudo têm feito para que esta vergonha se mantenha escondida.

Por favor, não se esqueça da sua experiência como reitor de uma universidade e que, como tal, também foi vítima da enorme ignorância dos produtos do sistema educativo (?) português.

Sr. Ministro: Que nunca lhe doam as mãos, e não pare!

A política irresponsável do Ministério da Educação tem sido, no mínimo, criminosa, e há que apurar responsabilidades!

Há imensa gente nas cadeias portuguesas por ter feito coisas bem menos graves:

  • Há muita gente que está presa por ter "apenas" roubado umas centenas ou milhares de contos! O Ministério atirou para o lixo milhões e milhões de contos de OGE de muitos anos procurando encapotar os resultados dos seus crimes.
  • Há muita gente que está presa por "apenas" ter ferido alguém e, eventualmente, o ter incapacitado. O Ministério tornou imensa gente incapaz por tê-los convencido que tinham o 12. ano, e que, afinal, aos 18 anos ou mais, nem sequer sabem o que seria suposto saberem com uma antiga 4. classe em curso nocturno!

Por favor, Sr. Ministro, não pare!

Acabe de vez com a enorme mentira desse Ministério!

Por favor, mostre que, finalmente, um Ministro da Educação pode ser, de facto, ministro, e não apenas mais um a ser triturado pelo "aparelho".

  • Aborte já a prevista reforma, que não passa de mais um passo de gigante na continuação da aldrabice, com a invenção de que são os alunos que marcam o ritmo do ensino!
  • Acabe com a enorme negociata dos livros escolares, que faz com que os livros não possam passar de irmãos para irmãos, obrigando os pais a alimentar interesses que não têm nada a ver com o do ensino dos seus filhos!
  • Crie o cheque de educação, para que possamos por os filhos nas escolas que melhor cumprem a sua missão, arrumando de vez com o populismo e facilitismo!

Nós queremos escolas secundárias que mereçam essa designação, e não creches para "tomarem conta dos meninos" com 15 ou 18 anos!

Sr. Ministro:
Muito obrigado pelo que fez hoje!
Amanhã, será um dia diferente, e nunca mais voltaremos a ontem!
  

[anterior]