APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas 

  Comunicado

  Entrevista do Governador do Banco de Portugal

 

A APFN saúda as declarações proferidas pelo Dr. Vitor Constâncio, Governador do Banco de Portugal, alertando que Portugal deve acabar de vez com a desastrosa política anti-natalidade que tem vindo a promover nos últimos 20 anos, e que a APFN tem vindo a reclamar desde a sua criação, há cerca de 5 anos.

 

Recorde-se que 1981 foi o último ano em que o número médio de nascimentos por casal foi de 2.1, o necessário e suficiente para haver renovação de gerações, tendo continuado a cair para 1.4-1.5, nos últimos 10 anos.

 

Isto traduz-se num défice de 50.000 nascimentos por ano, ou seja, quase 6 por hora! Num país que está profundamente preocupado (e bem) com uma média de 4 mortes por dia nas estradas, é bom que se preocupe com o défice de 6 nascimentos por hora!

 

Se virmos os números de nascimentos por número de ordem, em 1981, 1991 e 2001, verificamos que o número de “primeiros filhos” pouco de alterou, andando na ordem dos 65.000 por ano. O número de “segundos filhos” sofreu uma ligeira redução, mas o número de “terceiros ou ordem superior” sofreu uma enorme quebra, para cerca de um terço, demonstrando à evidência que a política anti-natalista foi dirigida contra as famílias numerosas, como a APFN sempre tem chamado a atenção.

 

A fiscalidade portuguesa tem sido a verdadeira “cereja em cima do bolo” desta política, penalizando fortemente a indispensável estabilidade familiar, e os casais com filhos tanto mais quando o seu número, conforme se poderá verificar no Caderno 6 – Política Fiscal da Família (http://www.apfn.com.pt/Cadernos/caderno6a4.PDF), elaborado em conjunto pela APFN e CNAF, e apresentado publicamente no passado mês de Novembro.

 

A APFN, através do Plano +famili@, tem vindo a fazer a "sua parte", graças à fortíssima e crescente adesão de empresas de todos os ramos, fazendo com que as famílias numerosas que se tornem sócias vejam a sua vida menos dificultada.

 

A APFN espera que as declarações do Governador do Banco de Portugal, bem conhecido pela sua independência e sabedoria, contribuam decisivamente para que o poder político faça a "sua parte", de tal modo que 2004, em que se celebra o X Aniversário do Ano Internacional da Família, seja o ano de inversão dos péssimos indicadores do estado das famílias em Portugal.

APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas  

 

 

Rua 3A à Urbanização da Ameixoeira
Área 3, Lote 1, Loja A
1750-084 Lisboa

Tel: 217 552 603 - 917 219 197
Fax: 217 552 604
 

Para saber mais:

 
Se tem 3 ou mais filhos, concorda com os nossos Princípios e Estatutos e deseja ser sócio,  
 
 
Se quiser deixar de receber comunicados da APFN, envie um email para apfn@apfn.com.pt com o assunto "Remover" 
Nota importante: é necessário que seja enviado a partir da conta de correio electrónico onde foi recebido este comunicado.

[anterior]