A NATALIDADE EM PORTUGAL  - Comunicado da APFN

O INE acaba de publicar o relatório "A NATALIDADE EM PORTUGAL" tratando os dados até 2001, que mostram o resultado da desastrosa política familiar que Portugal tem vindo a seguir nos últimos anos.

A APFN manifesta a sua perplexidade pela perplexidade manifestada por algumas entidades chamadas a pronunciar-se pela comunicação social sobre este assunto.

Com efeito, desde a sua existência, a APFN tem vindo a tentar alertar os governantes e a opinião pública em geral para a inacreditável política familiar (?) que tem vindo a ser seguida e que nós, pais de famílias numerosas, bem temos sentido na pele.

Ficamos, no entanto, perplexos, por alguns sectores continuarem profundamente distraídos desta realidade.

Por exemplo, é com enorme espanto que vemos entidades a protestarem por o Governo ir fechar escolas com menos de 10 alunos!  Essas escolas não vão ser fechadas por ESTE Governo, mas sim pelos casais que não tiveram filhos!  O previsto encerramento destas escolas corresponde apenas a enterrar os cadáveres em que essas escolas se transformaram por falta de alunos, alagados pelas lágrimas dos professores que as têm velado à espera de algum milagre que as ressuscite!

Não adianta chorar!

Pelo contrário, é preciso acordar para a triste realidade, reflectir sobre as causas e inverter a tendência.

Ao contrário do que tantos "iluminados" têm vindo a proclamar, "isto" não é resultado da "sociedade moderna".  Como é que pode ser?  Não somos livres de escolher o modelo de vida que queremos?  Como é que é possível convencer alguém que, numa sociedade mais livre, sejamos menos livres, tendo que sujeitar-nos aos ditames do que uns "iluminados" chamam de "sociedade moderna"?

A APFN apela a que cada pessoa recorra à sua inteligência e, de forma livre, responda em consciência a esta questão. Em particular, este apelo é dirigido às pessoas que têm responsabilidades políticas e que, como tal, são os primeiros responsáveis.

A nossa resposta é muito simples:
A responsabilidade da grave situação demográfica de Portugal é dos governantes que temos vindo a ter nos últimos vinte anos, porque:
1 - Mentiram, escondendo à população os estudos sérios sobre este assunto que foram sendo publicados nestes vinte anos. Há muitos anos, o INE tem vindo a publicar projecções que, infelizmente, se têm revelado 100% correctas!
2 - Foram cobardes, permitindo que fosse criada uma mentalidade anti-família e anti-natalidade;
3 - Foram irresponsáveis, não adoptando atempadamente medidas "politicamente incorrectas" de apoio aos casais com filhos, cujos resultados não são visíveis no prazo de uma legislatura!

Por isso, a APFN:
1 - Apela ao actual governo para, na sequência de declarações efectuadas e de algumas medidas já adoptadas, tome medidas agressivas de apoio aos casais com filhos;
2 - Apela aos deputados europeus para procurarem implementar em Portugal as "melhores práticas" seguidas pela quase totalidade dos países europeus neste domínio, em vez das "piores práticas" no combate à natalidade.

APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas
 

[anterior]