APFN - 8 de Março

Câmara Municipal de Coimbra aprova por unanimidade proposta por uma política integrada para a família

No passado dia 4 de Março, a Câmara Municipal de Coimbra aprovou a proposta por uma política integrada para a família (que se anexa), de acordo com o sugerido pela APFN no Caderno 4 - Família e Poder Local.

Recorda-se que a APFN lançou este Caderno no princípio de Novembro, tendo obtido, de imediato, a adesão das então candidaturas PP/PSD/PPM de Coimbra, Famalicão e Sintra.

Posteriormente, tem vindo a fazer a divulgação destas medidas através de conferências que têm vindo a ser realizadas em todos os distritos, com o título "Família, Política Familiar e Poder Local", sob a presidência dos Presidentes da Câmara dessas cidades.

As nossas propostas têm vindo a ser bem aceites em todos esses locais, independentemente da "cor política" dos autarcas.

Sintra foi a primeira Câmara a adoptar medidas concretas, ao aprovar, no passado dia 25 de Fevereiro, o tarifário familiar da água, fazendo com que as famílias numerosas passem a pagar a factura da água ao mesmo preço que as restantes. Infelizmente, esta medida da mais elementar justiça, foi aprovada por maioria, com votos a favor do PP, PSD, CDU e BE, tendo o PS inexplicavelmente abstido.

É, pois, com uma enorme alegria, que a APFN vê as suas propostas serem aprovadas por unanimidade (PP, PSD, PPM, PS e CDU) pela Câmara de Coimbra.

A APFN saúda, assim, publicamente, todos os vereadores da Câmara Municipal de Coimbra, na pessoa do seu Presidente, Dr. Carlos Encarnação, não podendo deixar de salientar o Dr. Nuno Freitas, Vereador com o pelouro a Família, autor desta proposta.

A APFN continua a trabalhar com todas as câmaras com quem já iniciou contactos, esperando, a qualquer momento, a concretização de medidas idênticas por parte de qualquer delas.

O Caderno 4 - Família e Poder Local, pode ser consultado no nosso site em http://apfn.no.sapo.pt/Cadernos/Caderno4/caderno4.htm.

 

Recorda-se, ainda, que a APFN lançou no passado dia 20 de Fevereiro o Caderno 5 - "Apostar na Família - Construir o Futuro" (http://apfn.no.sapo.pt/Cadernos/Caderno5/caderno5.htm) contendo as nossas propostas para uma política familiar de facto, de modo a, finalmente, se cumprir o estipulado na Constituição no que diz respeito à família.

A APFN espera que as diversas candidaturas às próximas legislativas sigam o exemplo dos autarcas e esclareçam se estão ou não disponíveis para cumprir o que lá está escrito, nomeadamente no artigo 67, e, para além disso, como, quando e com quanto!

Com efeito, num país que envelhece a olhos vistos (por há 20 anos nascerem 50.000 crianças a menos por ano) e apresenta todos os indicadores negativos sobre o estado das famílias, com bem evidentes sinais negativos na sociedade portuguesa (droga, alcoolismo, delinquência e criminalidade juvenis, sexualidade precoce, sida, insucesso escolar...) a APFN relembra às diversas candidaturas, que o elemento fundamental da sociedade é a família, e não o futebol!

Relembra, ainda, que os portugueses sabem bem que não vão votar para 2004, nem para 2006, mas querem saber qual o projecto que cada um tem para o Portugal dos nossos filhos e nossos netos.

[anterior]