Sobre o documentário

 “Inverno demográfico: o declínio da família humana” 

O documentário “Inverno demográfico: o declínio da família humana” expõe as severas consequências económicas e sociais da fragilização da família e da queda da taxa de natalidade em todo o mundo. No “Inverno demográfico”, académicos de várias áreas apresentam o contexto económico, social, demográfico e histórico do declínio da população e o impacto que as famílias têm na resiliência e na estabilidade da sociedade. O estilo animado da película destaca a investigação de economistas (incluindo um prémio Nobel), demógrafos, sociólogos, e autores.  

Estes peritos mostram como a existência de um capital humano forte é necessária para cada economia. O desenvolvimento deste capital humano depende mais das famílias de que é constituído do que de qualquer outra instituição. A partir da sua investigação, estes académicos mostram a necessidade de se constituir um forte capital moral e social, melhor constituído dentro da família, como uma base para este capital humano.  

Realçam, também, como o apoio à família é crucial no desenvolvimento das capacidades e da educação.  

As sociedades e as economias estáveis dependem fundamentalmente destes elementos vitais.  

O “Inverno Demográfico” mostra como, ao contrário do mito popular, as taxas de natalidade têm caído dramaticamente nos últimos 40 anos e que uma parte importante do mundo tem agora taxas de natalidade bem abaixo dos níveis da reposição.

Alguns países já começaram a reduzir em população, e cedo começarão a sentir o efeito de uma economia em contracção.

Segundo estes peritos, a população mundial, particularmente em países desenvolvidos, está a envelhecer.

A geração do baby-boom está a atingir a idade da reforma e necessitará de ser suportada pelas gerações que as sucederam, que têm tido cada vez menos filhos. Isto significa uma cada vez menor população activa a pagar os sistemas da segurança social, o serviço de saúde e o bem-estar mundial.

As economias serão postas à prova e os governos terão cada vez menor capacidade de resposta com a queda na produtividade e na colecta de impostos sobre o rendimento.  

O filme mostra como os países em desenvolvimento, com uma fertilidade abaixo do nível de reposição, têm olhado para a imigração como solução para manter a sua capacidade laboral. Este crescimento da imigração, vindo quase exclusivamente dos países em vias de desenvolvimento, tem vindo a alterar a paisagem social e política nos países anfitriões. Esta emigração tem vindo a drenar a produtividade nos países em vias de desenvolvimento, retardando o crescimento das suas economias. Mais ainda, estes peritos dizem-nos que, sendo tão frequente a separação dos elementos da família, normalmente o pai, está a provocar grandes problemas sociais nos países de origem e as suas taxas de natalidade estão a cair mais rapidamente do que aconteceu nos países desenvolvidos.  

“Inverno demográfico: o declínio da família humana” é o primeiro de dois filmes sobre este tópico.  

Este primeiro filme tem entrevistas com muitos académicos distintos, designadamente:

·        Gary Becker, Ph.D, universidade de Chicago, prémio Nobel em Economia, 1992

·        Phil Longman, Schwartz Senior Fellow na New America Foundation e autor de “The Empty Cradle: How Falling Birthrates Threaten World Prosperity And What to Do About It” (“O berço vazio: como a queda das taxas de natalidade ameaça a prosperidade mundial e o que fazer acerca disso”);

·        Nicholas Eberstadt, Ph.D., Economía Política e Governo, Universidade de Harvard,

·        Henry Wendt, Investigador em Economia Polítca, American Enterprise Institute; Victor Medkov, Professor, Departmento de Sociologia, Universidade Estatal de Moscovo Lomonosov, co-autor da “Population: An Encyclopedic Dictionary”;

·        Steve Nock, Ph.D, Commonwealth Professor, Professor de  Sociologia e Director do projecto Marriage Matters, Universidade da Virginia;

·        Kay Hymowitz, William E. Simon Fellow, Manhattan Institute, Contributing Editor, City Journal;

·        Linda Waite, Ph.D. Lucy Flower Professora em Sociologia Urbana, Universidade de Chicago, Director, Centro sobre Envelhecimento no N.O.R.C.;

·        Alban d'Entremont, Ph.D, Chair, Dept de Geografia, Professor de Geografia Económica e Humana, Universidade de Navarra, Espanha.