Português | English
ELFAC - European Large Families Confederation Junte-se a nós no facebook Envie-nos um email
 
A ASSOCIAÇÃO
ASSOCIAR-SE
FAQ'S
CONTACTOS
LINKS
ÁREA DE SÓCIOS
ÁREA DE EMPRESAS
RECOMENDAR A APFN
BOLETIM
Desejo receber a Newsletter da APFN no meu endereço de email:

European

Large Families

Confederation


 

Plano + Família
APFN, Comunicado "Famílias Numerosas dão contributo inovador para a reforma da Segurança Social" publicado a 05/12/2013

logotipo APFN

COMUNICADO

FAMÍLIAS NUMEROSAS DÃO CONTRIBUTO INOVADOR

PARA A REFORMA DA SEGURANÇA SOCIAL

Da esperança média de vida para a idade média da população

APFN PROPÕE AO GOVERNO A UTILIZAÇÃO DA IDADE MÉDIA DA POPULAÇÃO

PARA CALCULAR A REFORMA DA SEGURANÇA SOCIAL


A Associação Portuguesa de Famílias Numerosas propôs ao Governo a utilização da idade médiada população como fator de sustentabilidade da segurança social, por ser um indicador mais justo, razoável e realista, substituindo o da esperança média de vida.

A esperança média de vida tem sido o único fator considerado para a sustentabilidade da segurança social, quando na realidade esta depende de mais dois fatores: criação de riqueza e potencial de população ativa no futuro.

A incorporação dos nascimentos no fator de sustentabilidade utilizado no cálculo das pensões de reforma é uma medida mais justa, razoável e realista porque, se os nascimentos aumentarem, não há necessidade de penalizar os futuros pensionistas, como previsto no atual modelo.

Pelos mesmos motivos, a APFN defende ainda que deverá ser considerado o duplo contributo realizado pelas famílias com filhos, com um índice de valorização da parentalidade.

De facto, as famílias com filhos contribuem com os seus descontos e com os filhos que irão pagar as reformas no futuro. Segundo a APFN, este contributo deverá traduzir-se na consideração, para efeito de cálculo de pensões, de uma bonificação por cada filho durante o período em que esse filho esteve a cargo, como dependente nas declarações fiscais.

A APFN relembra que, se aumentar o número de nascimentos, esse aumento produzirá de imediato resultados positivos na economia e na sustentabilidade da segurança social.

Este é um contributo completamente inovador e que confere ao sistema de segurança social um realismo até agora inexistente, para além de polarizar as políticas públicas no eixo mais robusto do sistema, que é a natalidade – o fator por excelência de crescimento e sustentabilidade das comunidades.

 

APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Lisboa, 5 de Dezembro de 2013

Rua José Calheiros,15
1400-229 Lisboa

Tel: 217 552 603 - 919 877 902 - 917 219 197
Fax: 217 552 604