Português | English
ELFAC - European Large Families Confederation Junte-se a nós no facebook Envie-nos um email
 
A ASSOCIAÇÃO
ASSOCIAR-SE
FAQ'S
CONTACTOS
LINKS
ÁREA DE SÓCIOS
ÁREA DE EMPRESAS
RECOMENDAR A APFN
BOLETIM
Desejo receber a Newsletter da APFN no meu endereço de email:

European

Large Families

Confederation


 

Plano + Família
Dinheiro vivo, "CDS quer casas maiores para famílias numerosas no Programa Renda Acessível" publicado a 19/04/2017

CDS quer casas maiores para famílias numerosas no Programa Renda Acessível

O vereador do CDS-PP na Câmara de Lisboa propôs uma "alteração significativa" da tipologia dos fogos abrangidos pelo Programa Renda Acessível

O vereador do CDS-PP na Câmara de Lisboa propôs hoje uma "alteração significativa" da tipologia dos fogos abrangidos pelo Programa Renda Acessível, que prevê o arrendamento a custo reduzido de 6.000 fogos em 15 zonas, para atrair famílias maiores.

Numa nota enviada à agência Lusa, João Gonçalves Pereira sustenta que "deve ser incrementado em 15% o número de fogos com tipologias do tipo T4 - e não 6% como prevê a proposta de Fernando Medina [presidente do município, de maioria PS] -, por forma a garantir a possibilidade de fixação das famílias com agregados maiores, seja pela inclusão de ascendentes ou descendentes".

Apresentado a 06 de abril do ano passado, o programa prevê parcerias do município com o setor privado: enquanto o primeiro disponibiliza terrenos e edifícios que são sua propriedade, ao segundo caberá construir ou reabilitar.

O investimento municipal será de cerca de 400 milhões de euros, em património imobiliário municipal, benefícios e isenções tributárias e recursos financeiros.

O arrendamento de um T0 pode custar até 300 euros mensais, de um T1 até 350 euros, de um T2 até 500 euros e de um T3 ou T4 até 600 euros.

Na nota, João Gonçalves Pereira defende também a necessidade de assegurar uma "total transparência do modelo de negócio apresentado pela Câmara", razão pela qual propõe a fixação de uma percentagem máxima de 30% dos lotes na área total a atribuir ao concessionário.

"Esta é uma oportunidade que a Câmara não pode perder, muito menos por opção própria ou incúria na definição do modelo", defende o centrista.

Para Gonçalves Pereira, "este programa pode ser um instrumento fundamental de apoio para as famílias com menos posses que queiram residir em Lisboa ou, em alternativa, um projeto imobiliário que as afaste para a periferia por falta de condições da oferta imobiliária".

Na reunião privada de quinta-feira, a criação deste programa estará em debate, assim como o lançamento do primeiro concurso público para concessão de 16 fogos na Rua de São Lázaro que darão origem a 126 apartamentos para arrendar.

 

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt/economia/cds-quer-casas-maiores-familias-numerosas-no-programa-renda-acessivel/