Público - 13 de Dezembro

Religião

Deus é "extremamente importante"

Deus continua a ser importante na vida por portugueses, cada vez mais. Se em 1990, 52 por cento consideravam a importância de Deus na vida "extremamente importante", os dados referentes a 1999 indicam que este valor subiu para 63 por cento. Trata-se de uma tendência que também ocorreu na Europa, embora em menores proporções - de 32 por cento passaram para 37 por cento os que têm aquela opinião. Portugal ocupa ainda um lugar dissonante no contexto europeu. Apresenta ainda valores superiores no que concerne à declaração de se ser ou não uma pessoa religiosa, é também em Portugal que a confessionalidade se apresenta mais forte, tendo em conta a frequência no culto religioso. Cerca de 76 por cento dizem ir a cultos religiosos mais do que uma vez por mês (excluindo as festividades). Curiosamente, não é no norte do país que se atribui maior importância à religião: o centro apresenta indicadores superiores no que diz respeito à coerência entre a sua crença e prática, embora o norte diga querer e praticar mais, constata António Teixeira Fernandes, o investigador da Faculdade de Letras da Universidade do Porto que analisou os dados sobre as atitudes religiosas. Ao contrário do que se vem pensando, não é o Alentejo que "está a ser sujeito a um maior processo de descristianização e de ateização", mas sim as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

[anterior]