Associação Famílias - 3 Jan 03

Nótulas  soltas da minha agenda...

Carlos Aguiar Gomes

 

 1.     Os últimos meses do ano que agora acaba têm sido férteis em penosos acontecimentos. Nem vale a pena enumerá-los. Os leitores identificam-nos bem. Andamos cabisbaixos, tristes e pessimistas. Não é, porém, correcto, do ponto de vista humano, deixarmo-nos invadir por este torpor... temos de manter uma coragem interior decidida a construir um mundo melhor. Mais positivo. É um voto que faço para mim: ser capaz de ver "mais positivo" neste ano que agora se inicia. É um voto que faço para todos os leitores.

 

2.     Este Inverno tem sido demasiado "regado". A chuva marca presença de forma vigorosa. Como sempre, alagam-se os campos. Inundam-se aldeias, vilas e cidades. Há derrocadas. Algumas destas catástrofes poderiam ter sido evitadas. Manuel Alegre, referindo-se a Águeda, sua terra natal, e aos prejuízos que lhe causou a inundação da baixa daquela cidade e onde tem a casa em que nasceu, referiu como causa da catástrofe: rios destruídos ; leitos de inundação ocupados; rios transformados em canais de esgoto ... A situação é grave e vai continuar a sê-lo enquanto se não entenderem os rios como sistemas abertos, naturais, que quase se comportam como seres vivos. Por isso, fazem falta geólogos a trabalhar nas Câmaras Municipais, nas grandes empresas de construção civil, nas entidades de Protecção Civil... Quantas desgraças se poderiam evitar, se, como seria lógico, em cada Câmara houvesse, pelo menos, um geólogo!...

 

3.     Passou a época da grande euforia consumista. Janeiro é um mês longo. Não só por que tem 31 dias mas também, e sobretudo, por que o dia de se receber o ordenado nunca mais chega! É, para muitos cidadãos , um mês depressivo que se explica pelos exageros cometidos em Dezembro. E não se aprende de ano para ano...

 

4.     Ouvi ou li várias mensagens de Ano Novo de altas personalidades portuguesas. Ainda bem que houve uma tónica de esperança, sem deixarem de chamar a atenção para os graves problemas que o país atravessa, nomeadamente dos egoísmos pessoais e corporativos!

 

5.     O Iraque é uma ameaça? Pois claro que é. Mas, os outros países (e são tantos!) onde também não se respeitam os direitos humanos? Lembro-me da Arábia Saudita, do Irão, da China ou da Coreia do Norte. Não esqueço os inúmeros países de Africa, onde além da fome, há guerra e intolerância: Nigéria, Etiópia...

A barbárie reina, ainda, em muitos "Cantos" do mundo. A intolerância conquista adeptos (v.g. o que se passa na Argélia). O egoísmo de tantos ricos é opressivo.

 

6.     Se é verdade que nasceu o primeiro bebé-clone, é muito grave. Indignam-me este tipo de manifestações contra a natureza. Não basta proibir, ainda que seja necessário fazê-lo com veemência, estes atentados à dignidade do Homem. Urge, é urgentíssimo, educar para a vida e sem respeito da concepção à morte natural!

 

7.     Estou a ler um livro estupendo: "Reformar Portugal", acabado de lançar no mercado. São muitos os seus autores. Voltarei a referir-me a ele em próxima oportunidade.

[anterior]