Diário de Notícias da Madeira -16 Mai 03

Famílias numerosas contra políticas de antinatalidade 

Delegação regional quer intervir junto das entidades competentes para «defender valores e repor justiça» 

Foi, ontem, apresentada formalmente, a delegação regional da Associação Portuguesa para as Famílias Numerosas.   Criada há pouco mais de 4 anos, esta associação tem como principal objectivo defender os valores e repor a justiça em relação às famílias numerosas, que, está definido, são aquelas com mais de três filhos ou cujo número de ascendentes forma um agregado familiar de mais de 5 pessoas.  Preocupados com a tendência europeia - ao qual o nosso país não foge à regra - de envelhecimento da população e da adopção de uma política de antinatalidade, José João Correia, membro da delegação regional e porta-voz da iniciativa, lembrou que, nos últimos 20 anos, nascem menos 50 mil crianças por ano, o que tem desequilibrado a estrutura populacional. 
Mais do que benefícios para os sócios, a Associação pretende pressionar e intervir junto das entidades competentes para as grandes medidas estruturais em relação às famílias numerosas, logo, com mais dificuldades. 
«Entretanto, posso adiantar que esta associação tem acordos com várias empresas públicas e privadas, embora ainda estejamos a começar na Região. Mas temos um serviço de "Cash and Carry" com descontos e estamos em negociação com algumas empresas de "franchising" e de transportes».   À margem desta conferência foi ainda apresentado o "Fórum para a Liberdade de Educação", presidido por Fernando Adão, que defende que sem um ensino livre não é possível a inovação e o progresso económico, social e cultural.

[anterior]