Ecclesia - 15 Mai 03

APFN alerta para a realidade familiar em todo o país

Para assinalar o Dia Internacional da Família, 15 de Maio, a Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN) promove o serão nacional da família, em 21 cidades do país, numa clara demonstração da grande implantação que a associação tem vindo a ganhar. Fernando Ribeiro e Castro, presidente da APFN e nomeado hoje membro do Conselho Consultivo dos Assuntos da Família, destaca as 4 conferências dedicadas à "+ família na educação" em Vila Real, Faro, Elvas e Funchal, - "os quatro pontos cardeais", referiu - em parceria com o Fórum para a liberdade de educação, e a de Lisboa dedicada ao tema da "família na política", em gestos que são entendidos como um apelo para que seja dada liberdade de escolha aos pais, "para que possam decidir qual o projecto educativo para os seus filhos."
Em Lisboa estará Mario Mauro, eurodeputado e ligado ao governo regional da Lombardia que, há dois anos, implementou um programa de fortalecimento de política familiar que já começou a ter dividendos. "Ele vai apresentar números: quanto se gastou, qual o retorno em termos de redução de criminalidade e toxicodependência, mostrando que quando há fogo é bom atirar água para o fogo mas é fundamental eliminar o combustível", explica. O responsável salientou a "mudança de discurso político", destacando a acção da coordenadora nacional para a política da família, Margarida Neto, também ela entrevistada hoje pela agência ECCLESIA.

+FAMILI@
O plano +famili@ entrou oficialmente em vigor hoje, Dia Internacional da Família. Fernando Ribeiro e Castro manifestou a sua satisfação pelo grau de adesão de importantes empresas e o apoio de entidades públicas, revelando que a Câmara de Viseu se associará hoje ao plano, juntando-se às de Sintra e Coimbra. Em Lisboa será assinado o protocolo com a Galp e a Chrysler.
O plano +famili@ será revisto, avaliado e actualizado anualmente, no Dia Internacional da Família.

DISCURSO DO MINISTRO DA SEGURANÇA SOCIAL E DO TRABALHO
No seu discurso no Dia Internacional da Família, o ministro Bagão Félix denunciou "uma cruzada contra a família tradicional", referindo que "o futuro passa pela familiarização das respostas sociais e não pela excessiva individualização dos direitos sociais, insensível ao contexto e realidade familiares." "As políticas familiares devem sobretudo basear-se no primado da prevenção e da valorização da família, sem que isso signifique menos atenção à função social do Estado de acorrer a todas as situações de vulnerabilidade. E de respeitar a liberdade de cada um na sua esfera de opções pessoais e familiares", afirmou.
 

[anterior]