Jornal da Madeira - 16 Mai 03

CRIADA DELEGAÇÃO REGIONAL DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE FAMÍLIAS NUMEROSAS

Defender famílias grandes 
A delegação regional não tem ainda sede. O assunto está a ser negociado com o Instituto de Habitação da Madeira, disse João Correia. 
 
Repor a justiça em relação às famílias numerosas, pressionar as entidades competentes para a defesa da família e defender os direitos daqueles que têm mais elementos no seu agregado familiar são os objectivos prioritários da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) e, consequentemente, da sua delegação regional, cuja apresentação oficial foi ontem feita num hotel do Funchal.
Por família numerosa entende-se aquela onde existam mais de três filhos ou em que o total do agregado familiar, ascendentes incluídos, seja de cinco ou mais elementos.
A delegação regional é constituída por cinco membros: João Correia, Ricardo Vieira, Mariana Pinto Cruz, Nuno Ribeiro Ferreira e Henrique Vila Lobos. Não há cargos definidos.
João Correia, porta-voz da associação na conferência de imprensa, disse que o objectivo principal da APFN é o de pressionar as entidades competentes para que dêem mais atenção às famílias com maior número de membros. No seu entender, as políticas governativas deveriam dar mais atenção à família, nomeadamente num contexto de envelhecimento da população, devido ao facto de a taxa de natalidade ter vindo a diminuir significativamente. A título de exemplo, João Correia referiu o facto de, nos últimos 20 anos, e seguindo uma tendência europeia, nascerem menos 50 mil crianças por ano em Portugal.  João Correia acrescentou que o ideal seria que a pirâmide etária tivesse uma base maior (mais jovens do que idosos). O que acontece, no entanto, é o inverso. Mais uma razão para que as famílias numerosas sejam valorizadas e seja reposta a justiça em relação a elas, nomeadamente no campo da fiscalidade, do tarifário da água e de outros bens.  A título de exemplo, João Correia referiu o caso da Câmara Municipal de Sintra, cujo tarifário de água é baseado no consumo "per capita" e não em escalões de consumo. Situação que favorece as famílias numerosas, as que mais gastam desse e de outros bens.
Embora não sendo esse o objectivo principal, a delegação regional tem alguns benefícios para os seus associados. Descontos na compra de alguns carros, facilidade de acesso a um "cash & carry" regional e outras facilidades futuras são algumas das possibilidades que têm vindo a ser negociadas com entidades públicas e privadas.
Garantindo que a APFN não tem carácter elitista, João Correia esclareceu que os benefícios conseguidos serão aplicáveis a todas as famílias numerosas.
Embora só ontem tenha sido oficialmente apresentada, a procura de informação junto dos membros da associação tem sido significativa, disse João Correia.
A delegação regional não tem ainda sede. O assunto está a ser negociado com o Instituto de Habitação da Madeira, de forma a que a APFN passe a ter uma sala onde possa receber os seus associados ou quem procure informação sobre o assunto, disse o engenheiro.
A APFN celebrou o Dia da Família, com um Serão em Família e conferências sobre o tema.

[anterior]