Reconquista - 29 Mai 03

Famílias Numerosas exigem direitos
Mais filhos, menos custos

A delegação de Castelo Branco da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas está empenhada em conseguir alguns benefícios para os agregados familiares com mais de três filhos. A intervenção vai ser feita a vários níveis, como com as taxas do abastecimento de água.

A funcionar há dois anos em Castelo Branco, a Delegação Distrital da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas tem já a sua equipa de trabalho composta, traçando para os próximos tempos objectivos bem definidos. A Teresa Caldeira, delegada desde a primeira hora da Associação, juntaram-se Florência Frango e Carlos Gama, que agora pretendem desenvolver várias actividades que permitam garantir uma melhor qualidade de vida às famílias numerosas.
"É importante alertar as entidades competentes que há pequenas coisas que podem ser alteradas, de forma a que as famílias numerosas tenham menos dificuldades", começa por referir Teresa Caldeira, que dá como exemplos os sectores da educação, dos impostos, encargos camarários e as taxas sobre os automóveis maiores. "Pretendemos desenvolver contactos com os responsáveis da autarquia para que os custos de abastecimento de água ao domicílio possam ser repensados, tal como já aconteceu em Sintra. Aquilo que sucede na nossa Região é que uma família de cinco elementos tem uma taxa superior à de cinco casas com uma pessoa. No ano passado esta questão chegou a ser levantada e a autarquia mostrou-se receptiva, pelo que agora iremos tentar chegar a um acordo".
Apesar de ter 14 associados, a delegação de Castelo Branco daquela Associação, lembra que sete por cento das famílias da região serão numerosas. Essa é a média nacional e o Distrito não deverá andar muito longe desses números, pelo que Teresa Caldeira considera importante a tomada de medidas que beneficiem essas famílias. "Portugal deve aproximar-se das coisas boas que há na Europa. A nível nacional, a Associação já conseguiu dar grandes passos, mas no estrangeiro continuam a existir mais benefícios. Por exemplo, as mulheres podem trabalhar a meio tempo, o que lhes permite darem mais de si à família".
Outro caso concreto recordado por Teresa Caldeira diz respeito à necessidade das famílias numerosas terem que adquirir automóveis maiores. "Nas auto-estradas, por exemplo, esses veículos são considerados um luxo, pelo que as tarifas são maiores. Outro problema prende-se com o pagamento de IRS, onde as famílias numerosas saem prejudicadas".

Plano +famíli@
Um dos passos dados pela Associação para o apoio das famílias numerosas é a criação do Plano +famíli@. Um projecto que "pretende melhorar a qualidade de vida e bem estar das famílias numerosas, de forma a que a sua economia doméstica cresça, garantindo, ao mesmo tempo, a igualdade de oportunidades na formação de jovens". O Plano apresenta um conjunto de medidas vantajosas em sectores tão diferentes, como o financeiro, alimentar, emprego, telecomunicações, transporte, lazer e educação. A lógica passa pela máxima «ser mais custe menos», e já foram assinados protocolos com a Galp e a Tranquilidade.

[anterior]