Reconquista - 29 Mai 03

Castelo Branco acompanha cenário nacional
Natalidade assim assim

O número de famílias numerosas tem vindo a decrescer no nosso País, onde o número de nascimentos parece querer estabilizar. Castelo Branco parece seguir o resto do País nesta matéria.

As famílias numerosas são cada vez menos no nosso País. De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Estatística, no panorama nacional prevalecem as famílias com apenas um filho, seguidas das famílias com dois herdeiros.
Já no que respeita à natalidade, Portugal parece ter alcançado a velocidade cruzeiro. Castelo Branco seguiu o cenário nacional, se bem que no último ano até houve uma quebra no Hospital Amato Lusitano. Como referiu, no início do ano, ao nosso jornal, Mário Pombo, director do serviço de maternidade, no último ano nasceram no Hospital Distrital Amato Lusitano de Castelo Branco 605 crianças, menos 35 que em 2001.
Números que no entender de Mário Pombo são razoáveis. "Estamos numa zona onde a população é envelhecida e onde há menos jovens do que há alguns anos atrás. Por exemplo, se compararmos estes dados com os de Aveiro, onde há mais jovens, proporcionalmente aquela região tem menos partos que nós", disse na altura.
Aquele responsável lembrou, no entanto, a década de 80, "onde chegaram a nascer 1200 crianças num ano". Dados que vêm de encontro ao facto de cada vez mais os casais optarem por terem menos filhos.

Mães mais tarde
Hoje, as mulheres optam por serem mães cada vez mais tarde e a maioria das famílias é composta por apenas um filho. São vários factores que contribuem para esse cenário, como as condições económicas ou a carreira profissional. Uma parte significativa das mulheres decide ser mãe, pela primeira vez entre os 30 e os 34 anos, uma percentagem quase idêntica à da faixa etária entre os 25 e os 29 anos.
De referir ainda que a maioria dos nascimentos ocorre no interior do casamento (76,2 por cento), mas os nascimentos fora do casamento têm aumentado substancialmente: eram já 23,8 por cento do total em 2001.

[anterior]