Portugal Diário - 16 Mai 05

 

CDS acusa Governo de desprezar assuntos da família

E critica ausência de Sócrates no Dia Internacional da Família

O CDS-PP acusou hoje o Governo socialista de "desprezar os assuntos da família" e exigiu a criação urgente de um Alto Comissariado para o sector, na dependência directa do primeiro-ministro.

"O Governo PS despreza os assuntos da família, negando por essa via o carácter fundamental e estruturante que a família desempenha na sociedade portuguesa", defendeu o porta-voz do CDS-PP Paulo Núncio, em conferência de imprensa.

Os democratas-cristãos criticaram o executivo liderado por José Sócrates de "ter primado pela ausência" no Dia Internacional da Família, que se assinalou domingo.

"Este facto é tanto mais preocupante quando se constata que o actual Governo socialista é o primeiro, nos últimos 25 anos, a não ter uma estrutura autónoma e específica vocacionada para os assuntos da família", notou Paulo Núncio.

Elegendo o crescimento demográfico como uma "prioridade para Portugal", o dirigente do CDS-PP defendeu a criação urgente de um Alto Comissário para os Assuntos da Família, a funcionar na dependência de José Sócrates, a aprovação de uma Lei de Bases da Família e a "implementação urgente" de cinco medidas.

Flexibilizar e alargar os apoios para licença de maternidade, estimular o trabalho a tempo parcial por razões familiares e certificar as "empresas familiarmente responsáveis" são algumas das medidas urgentes pedidas pelo CDS.

Por outro lado, os democratas-cristãos exigem uma revisão do regime dos manuais escolares (que permita a sua reutilização) e a criação de mecanismos de bonificação das reformas e das pensões em função do número de filhos.

"Nunca como hoje uma política global, transversal e integrada de família foi tão necessária em Portugal", afirmou Paulo Núncio.

[anterior]