Expresso - 28 Mai 05

MANUAIS DE EDUCAÇÃO SEXUAL
Pais de alunos pedem suspensão imediata

A CONFEDERAÇÃO das Associações de Pais (CONFAP) exige a suspensão imediata da utilização dos livros e materiais espanhóis constantes na bibliografia aconselhada para a educação sexual nas escolas pelos Ministérios da Educação e da Saúde.«Não se adaptam à nossa realidade», disse ao EXPRESSO Albino Almeida, líder da CONFAP.

Também a Associação Portuguesa das Famílias Numerosas voltou a pedir ontem à ministra da Educação que «leia» as Linhas Orientadoras sobre Educação Sexual e que «investigue a sério o que se está a passar».

Já o recém-criado Movimento Associativo e Federativo de Pais e Encarregados de Educação de Portugal está a recolher assinaturas para que seja criada uma comissão de inquérito que apure responsabilidades sobre o modelo de educação sexual em vigor. A deputada do PSD Zita Seabra já se solidarizou com este movimento e contou ao EXPRESSO que uma das filhas quando estava no 9.º ano foi alvo de um inquérito feito na sala de aula. «Perguntaram-lhes se já tinham tido relações sexuais, com quantas pessoas, se já tinham tido relações com animais. Obriguei a escola a dar-me o inquérito e dirigi-me ao ministro da Educação Oliveira Martins, que ordenou uma averiguação», contou.

Entretanto, um dos teóricos deste modelo de Educação Sexual, William Coulson, escreve uma carta aos pais onde pede: «Ajudem-me a matar o monstro que criei».

[anterior]