Rádio Renascença - 30 Mai 05                                               ouvir a notícia

Educação: Investigador alerta pais portugueses  
Educação sexual nas escolas é um dos assuntos do momento na sociedade portuguesa

William Coulson, investigador social norte-americano, considera que as linhas orientadoras da educação sexual, aplicadas nas escolas portuguesas, partem de teorias erradas.

Este responsável do Centro de Pesquisa de Etnopsicologia da Califórnia foi colaborador de Carl Rogers, psicólogo americano autor dessas teorias e que no final da sua vida admitiu o fracasso do seu trabalho.

Em declarações à Renascença, William Coulson lembra que esteve em Portugal, em Novembro do ano passado, e nessa altura tomou contacto com o que se pretende ensinar aos jovens sobre Educação Sexual.

O investigador aconselha as autoridades portuguesas a desistirem dos programas que estão em vigor, tendo em conta os resultados obtidos nos Estados Unidos.

"Eles aplicam nas escolas portuguesas mensagens de clarificação de valores que eclodiram nos Estados Unidos nos anos 60 e têm sido constantemente desacreditados pela investigação e pela experiência".

William Coulson mostra-se contra a "excessiva discussão" dos temas de educação sexual nas salas de aula, considerando que "são inteiramente desapropriadas para as crianças".

Nesta entrevista à Renascença, o investigador, que publicou uma carta aos pais portugueses na edição deste fim-de-semana do "Expresso", sublinha que é perigoso abordar a educação sexual nas escolas e fala de um "monstro" que é preciso atacar.

"É esse o monstro de que falei. É manifestado em níveis epidémicos de doenças sexualmente transmissíveis e em promiscuidade sexual epidémica. Ninguém ganha com isto, excepto os pornógrafos, e como também acho, a Federação Internacional de Associações de Planeamento Familiar, que é a maior promotora de abortos", reitera.

"Eu sei que o aborto é ilegal em Portugal, mas o tipo de actividades que são promovidas nestes programas, que eu chamo de monstros, levam-nos a um maior número de abortos e, por isso, gostava que este programa acabasse", sublinha William Coulson.

A questão da educação sexual nas escolas é um dos assuntos do momento na sociedade portuguesa.

O MOVE - Movimento de Pais considera que está a ser feita uma campanha de desinformação e colocou na Internet uma petição, na qual estão já 9 mil assinaturas. O "site" do MOVE também vai disponibilizar toda a documentação enviada pelo Ministério da Educação às escolas em 2000.

[anterior]