Português | English
 Junte-se a nós no facebook Envie-nos um email
 
A ASSOCIAÇÃO
ASSOCIAR-SE
FAQ'S
CONTACTOS
LINKS
ÁREA DE SÓCIOS
ÁREA DE EMPRESAS
RECOMENDAR A APFN
BOLETIM
Desejo receber a Newsletter da APFN no meu endereço de email:
 

 

 


 

Plano + Família
Jornal de Notícias Online, 'Aumento de impostos vai prejudicar as famílias' publicado a 13/05/2010

O anunciado aumento de impostos vai prejudicar, principalmente, as famílias com filhos e as mais carenciadas, segundo a Associação Portuguesa de Famílias Numerosas e o Banco Alimentar Contra a Fome.

"Mais uma vez, e por falta de visão do Governo, continua a praticar-se uma política anti-natalista. Vai penalizar as famílias em função do rendimento e não do rendimento per capita. O maior sacrifício é pedido às famílias com filhos, tanto mais quanto maior o seu número de filhos", sublinha Fernando Ribeiro e Castro, presidente da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN).

O primeiro-ministro "se fartou de andar a enganar os portugueses" ao dizer que não haveria aumento de impostos e "agora vai fazer o contrário do que foi anunciando. Isto mostra que existe uma total falta de visão do Governo", acrescentou.

Aumento "cego"

Para a presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, o aumento de impostos para reduzir o défice é "cego" e vai atingir principalmente as famílias carenciadas.

"Infelizmente ao optar por este aumento de impostos, que é cego e atinge todas as pessoas horizontalmente, as famílias carenciadas vão sentir ainda mais na pele a crise, nomeadamente os desempregadas, que sempre que consumirem vão ter um acréscimo dos preços que terão de pagar", disse à Agência Lusa Isabel Jonet.

As medidas para reduzir o défice já eram "expectáveis", defende, antevendo que irão impor-se outro tipo de medidas, provavelmente, "ainda mais duras e que vão ser difíceis para o dia a dia de muitos portugueses que tem já muitas dificuldades".



Conheça aqui a nossa Política de Privacidade